icon Sábado, 15 de Dezembro de 2018

ESPECIAL CUIABÁ 300 ANOS - A | + A

13.11.2018 | 15h:41

Você conhece a história de Cuiabá? Veja algumas curiosidades!

Por: Construtora São Benedito

Foto: Gláucia Almeida

Foto: Gláucia Almeida

Cuiabá, a cidade, que foi um marco da ocupação da região centro-oeste do Brasil, hoje segue recebendo imigrantes de diferentes regiões do Brasil, atraídos por seu potencial de crescimento e por sua qualidade de vida diferenciada.
Conheça, neste post, algumas curiosidades sobre a história de Cuiabá, capital do estado do Mato Grosso, que orgulha seus quase 600 mil habitantes.

 

Nascimento no ciclo do ouro
Foi a corrida ao interior do Brasil em busca do ouro o que possibilitou o surgimento do povoado que originou a cidade de Cuiabá. Isso se deu, principalmente, pelas mãos de bandeirantes vindos do sudeste.

O primeiro deles teria sido Manuel de Campos Bicudo, por volta de 1673. Ele fundou o povoado de São Gonçalo no encontro dos rios Coxipó e Cuiabá. Depois de um período de abandono, a região novamente foi ocupada pelo grupo liderado pelo sorocabano Pascoal Moreira Cabral. Em 8 de abril de 1719, o bandeirante fundou na região o povoado de Cuiabá.

 

Em 1727, o povoado foi elevado à condição de vila. Já em 1818, por determinação de Dom João VI, Cuiabá foi transformada em cidade. Mais, tarde, em 1835, já com uma população superior a 7 mil habitantes, tornou-se a capital da Província do Mato Grosso.

 

Origem do nome Cuiabá
Ao longo de sua história, Cuiabá recebeu diferentes denominações. Manuel Bicudo, o primeiro bandeirante que por aqui apareceu, designou a região como povoado de São Gonçalo. Posteriormente, Pascoal Moreira Cabral se estabeleceu no local, batizando-o de Cuiabá.

Quando foi elevada à condição de vila, sua denominação passou a ser Vila Real do Senhor Bom Jesus de Cuiabá. Somente em 1835, ao ser considerada cidade, estabeleceu-se o nome atual, simplesmente Cuiabá, como se chama o rio que banha a região e divide a cidade com a vizinha, Várzea Grande.

 

Estudos antropológicos indicam que a palavra Cuiabá seria o nome de uma antiga tribo indígena que habitava a região. Seria, ainda, uma referência ao utensilio chamado cuia, que os indígenas utilizavam.
Também há uma vertente que sustenta tratar-se de um termo da língua guarani, que significa lontra brilhante.

Prejuízos na Guerra do Paraguai
O maior embate militar que ocorreu na América do Sul teve reflexos significativos no desenvolvimento de Cuiabá. Em 1864, buscando uma saída para o Oceano Atlântico, tropas paraguaias sob o comando de Francisco Solano Lopes invadiram o Mato Grosso.

 

Era o início de um conflito que uniu Brasil, Argentina e Uruguai na chamada Tríplice Aliança para combater as pretensões expansionistas do Paraguai.
Embora diversas cidades mato-grossenses tenham sido atacadas, os paraguaios não chegaram a invadir Cuiabá. Muito pela atuação dos Voluntários da Pátria, um batalhão formado por mais de mil civis que teria protegido a cidade do avanço dos inimigos.

Porém, mesmo sem ter sido palco de batalhas, Cuiabá sofreu baixas em virtude do conflito. Uma forte epidemia de varíola, trazida pelos soldados que retornavam do front, teria dizimado parte da população da Capital.

 

Conhecida na época como bexiga ou bexiguinha, a doença teria vitimado de 30% a 50% dos 12 mil moradores de Cuiabá.

Recuperação pós-guerra
Mesmo devastada pelo conflito e com sua população praticamente dizimada pela varíola, Cuiabá conseguiu recuperar-se após a retomada da navegação nos rios Cuiabá, Paraguai e Paraná, no pós-guerra. A cana de açúcar e o extrativismo foram os pilares desta recuperação. A cidade foi, aos poucos, consolidando-se como importante polo regional.

 

A partir das décadas de 1970 e 1980, a cidade experimentou novos saltos de crescimento, com o desenvolvimento dos setores de serviços e de infraestrutura. Impulsionada pelo agronegócio, a região passou a se modernizar e a ampliar sua industrialização.

Personalidades de Cuiabá
A história de uma cidade está intimamente ligada à trajetória daqueles que nela viveram e que auxiliaram, de alguma forma, para o seu desenvolvimento. E Cuiabá tem algumas personalidades marcantes, não apenas para o Mato Grosso, mas também para o Brasil. Confira algumas delas:

 

Dante de Oliveira
O engenheiro Dante Martins de Oliveira nasceu em Cuiabá, em 1952, e foi prefeito da cidade e governador do Mato Grosso. Seu nome ficou gravado na história política brasileira por ter sido o autor da emenda que propôs o restabelecimento das eleições diretas no Brasil, em 1985, após a ditadura militar.

A emenda Dante de Oliveira deu origem a uma mobilização nacional, que ficou conhecida como a Campanha das Diretas Já. O político morreu em 2006.

 

Marechal Rondon
Natural de Santo Antônio de Leverger, Cândido Mariano da Silva Rondon era um sertanista e desbravador. Como chefe do Distrito Telegráfico do Mato Grosso, foi responsável por reduzir o isolamento de Cuiabá e de toda a região centro-oeste, construindo diversas linhas telegráficas. Também se destacou desbravando a região amazônica. Tanto fez pela região norte do país, que o estado de Rondônia foi assim batizado em sua homenagem.
Em Cuiabá, o Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia é uma das marcas da importância de Rondon para a cidade.

 

Dom Aquino Correa
Primeiro mato-grossense a ingressar na Academia Brasileira de Letras, Francisco de Aquino Correa foi arcebispo de Cuiabá e governador do Mato Grosso. Também foi responsável pela criação da Academia Mato-Grossense de Letras.

 

Centro geodésico do continente
A capital do Mato Grosso está localizada no eixo central da América do Sul, no chamado centro geodésico do continente. Inicialmente, este posicionamento geográfico da cidade foi constatado pelo Marechal Cândido Rondon, em 1909. Medições realizadas por engenheiros do Exército Brasileiro, em 1975, confirmaram a condição.

 

Um obelisco feito de mármore, com 20 metros de altura, protege o marco original que registra as coordenadas exatas do centro geodésico (15º35’56” de latitude Sul e 56º06’55” de longitude Oeste) na Praça Pascoal Moreira Cabral.

Arquitetura: do colonial ao moderno
Circular pelas ruas de Cuiabá e contemplar sua arquitetura permite verificar a convivência entre o antigo e o moderno. A arquitetura colonial dos seus primeiros anos de vida, preservada em igrejas e casarios do século XVIII, contrasta com a modernidade das edificações oriundas dos seus mais recentes ciclos de desenvolvimento.

 

Estes são alguns destaques da história de Cuiabá, uma cidade com quase 300 anos de história, onde o clássico e o novo convivem em harmonia.
O que você achou destas curiosidades a respeito da história de Cuiabá? Que tal compartilhar este post em suas redes sociais e dividir com seus contatos um pouco da trajetória desta cidade com quase 300 anos de história?

 

Fonte:  https://www.saobenedito.com.br

 

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

logo O bom da notícia

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet