icon Sábado, 15 de Dezembro de 2018

ESPECIAL CUIABÁ 300 ANOS - A | + A

13.11.2018 | 15h:26

Nossa Senhora do Rosário & São Benedito construída por escravos, Igreja do Rosário é símbolo de fé e devoção

Por: Do G1 MT

Foto: Gláucia Almeida

Foto: Gláucia Almeida

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em Cuiabá, guarda história de forte devoção e fé do povo cuiabano, a começar pelos escravos que a construíram, no século XVIII. Localizada no Largo do Rosário, a construção foi anexada tempos depois de construída a uma capela em homenagem a São Benedito. Gerando confusão entre os próprios moradores da capital, a Igreja do Rosário e a Capela de São Benedito trazem memórias materiais e espirituais inestimáveis.

 

O professor de história Oscar Corrêa do Couto Neto explica que a construção do monumento começou em 1725. A inauguração se deu cinco anos depois. A igreja foi levantada por um grupo de escravos compostos por negros forros e escravos libertos. Chamados de 'Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de Cuiabá', a construção tem no interior um material da época, chamado de taipa de pilão.

 

“Como não havia cimento naquele tempo, eles acrescentavam aos restos de construção fezes de animais e também sangue. Eles remexiam e socavam em uma base quadrada para compactar o material. Depois eles iam compactando e levantando as paredes. Elas [paredes] tinham entre 90 centímetros e 40 centímetros de espessura”, explica o professor.

 

A Capela de São Benedito surgiu cerca de 60 anos após a construção da igreja e foi anexada à casa original. O professor destaca a importância de se lembrar que a igreja não é de São Benedito e que essa afirmação renega os verdadeiros construtores da igreja.

O professor diz também que a Nossa Senhora do Rosário era a padroeira dos escravos e que a maior parte dos frequentadores da paróquia, na época, eram os negros, justamente a parcela da população que estava mais à margem da sociedade. Os momentos de oração e prece no local serviam como alívio momentâneo para a vida de sofrimento que a grande maioria deles levava.

 

Arquitetura
Entre as características dessa igreja, que é chamada de 'colonial', é a pouca luz. A igreja de Nossa Senhora do Rosário não tem janelas e nem vitrais e por isso o interior da construção é bastante escuro. Alguns detalhes, porém, fazem com que os católicos sintam a presença de Deus.

 

“Essa igreja tem um orifício na frente que permite a entrada de um feixe de luz. Chamado de 'olho de Deus', esse detalhe faz com que mesmo com a igreja fechada, os fiéis tenham a sensação que Jesus Cristo está olhando para eles. Além disso, essa igreja tem parte dos altares construídos com ouro e o material tem luz própria, o que também aumenta um pouco a claridade”, conta.

Um das características mais marcantes do local é a preservação de um detalhe forte do seu passado. Em das salas paroquiais, quem tem acesso ao local pode visualizar um grande paredão de barro, com vários buracos. Feito justamente da taipa de pilão, esse paredão chamado de 'janela do tempo' revive um pouco da memória da obra.

 

“Os escravos arrancavam o cabelo e depositavam nestes buracos pedindo para que Nossa Senhora do Rosário aliviasse as dores de cabeça que eles sentiam durante e depois de trabalharem por horas seguidas. Além disso, é possível encontrar purpurinas de ouro nessa paredão. Depois de molhado, quando você passa o braço, sua pele fica brilhando. Tudo porque foi feito com a areia da água do Córrego da Prainha, de onde eles extraíam ouro”, afirma.

Além do ouro que pode ser encontrado no paredão, parte dos monumentos em homenagem à Nossa Senhora do Rosário que estão dentro da igreja, no altar, também é revestida de ouro. As colunas que sustentam as imagens sacras têm dois padrões. Algumas são em espirais e têm o nome de 'salomônica'. As colunas com padrão mais lisas e retas são de um estilo de arquitetura barroca e são chamadas de 'rococó'.

 

Além disso, no local ainda se encontram relíquias, como tijolos de adobe, que os escravos confeccionavam na própria coxa, fato esse que acabava deixando os homens mancos e inutilizando-os para outros serviços, por causa do peso material que varia entre 12 e 14 quilos.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

logo O bom da notícia

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet