icon Sábado, 23 de Fevereiro de 2019

AGRO & ECONOMIA - A | + A

ALIMENTOS SAUDÁVEIS 11.02.2019 | 10h:50

Produção orgânica regional ganha espaço nas gôndolas

Por: Assessoria

Divulgação

Divulgação

Produtos e alimentos orgânicos estão cada vez mais em alta e já fazem parte da lista de compras de quem busca qualidade de vida, por promoverem uma alimentação mais saudável e trazer equilíbrio ao meio ambiente. 

 

A rede de Supermercados BigLar disponibiliza vários itens de produtos orgânicos para incentivar o consumo desses alimentos aos clientes.   

 

Dessa forma, além de colaborar com o consumo saudável de alimentos, contribui com o uso de métodos saudáveis de produção e com a geração de renda a produtores familiares da baixada cuiabana. Atualmente, ao menos seis áreas de produção fornecem seus produtos para a rede, sendo que elas estão localizadas em Cuiabá, Várzea Grande, Poconé, Santo Antônio do Leverger, Cáceres e Chapada dos Guimarães.   

 

De acordo com legislação brasileira, considera-se produto orgânico, seja in natura ou processado, aquele que é obtido em um sistema orgânico de produção agropecuária ou oriundo de processo extrativista sustentável e não prejudicial ao ecossistema local. Para serem comercializados, esses produtos devem ser certificados por organismos credenciados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).   

 

No BigLar são encontrados produtos provenientes de produção orgânica, como frutas, hortaliças, legumes e verduras. Conforme Marco Masao Sato, responsável pelo relacionamento com os fornecedores do BigLar, as folhagens são todas produzidas na região, bem como as verduras como pepino caipira, quiabo, milho verde, cebolinha verde, berinjela, chuchu, jiló e maxixe.   

 

Há ainda produtos orgânicos que são difíceis de serem encontrados em outros locais, como a batata yakon, que tem sido muito utilizada por pessoas com diabetes e colesterol alto, devido às suas propriedades que auxiliam no controle dessas doenças; batata doce, que é utilizada por pessoas que praticam atividades físicas para ganho de massa muscular; e a batata asterix, que é ideal para fritura e muito utilizada nesse tipo de processo industrial.   

 

Além desses ainda há o inhame, também conhecido como cará, que é indicado para a saúde feminina, para o coração e evita a anemia; e os ovos orgânicos, que são enriquecidos com Selênio e Ômega 3.   

 

O produto orgânico, explica Masao Sato, ganha cada vez mais espaço entre os consumidores, especialmente para pessoas que estão preocupadas com a saúde, o meio ambiente e com a qualidade do produto. 

 

“Países desenvolvidos já adotam a produção orgânica como prioridade. Na Europa, a alimentação orgânica cresce, em países como a Dinamarca, por exemplo, onde até 2020 a produção orgânica deverá crescer de 10% para 15%”, analisa.   

 

A estudante da Nutrição, Danielle Sarris, conta que tem feito de tudo para consumir quase todos os alimentos orgânicos, mas nem sempre é possível. "A vida hoje em dia é bem corrida e nem sempre dá tempo de ir até ao supermercado para buscar os orgânicos. Agora, no caso das folhas verdes e tomate, eu só compro orgânicos, pois são alimentos que absorvem facilmente os agrotóxicos", contou.   

 

Parceria com produtores locais   

 

Grande parte das folhas, frutas e legumes comercializados nas unidades do BigLar são produzidos pela Horta Terra Estrela, situada em Várzea Grande (MT), e produtores parceiros. Pela empresa são entregues cerca de 40 itens, entre verduras, legumes e frutas.   

 

O produtor orgânico Egon Nord, engenheiro agrônomo e proprietário da Horta Terra Estrela, destaca que o consumo vem aumentando muito nos últimos anos.  

 

“A parceria com o BigLar existe há quatro anos e, hoje, em torno de 95% da nossa produção é para atende-los, já que a procura aumentou bastante”, explica.   

 

Ele conta que trabalha com produtores parceiros de Chapada dos Guimarães, Poconé, Santo Antônio do Leverger e Cuiabá. 

 

“A maior parte são de assentamentos rurais e agricultores familiares”, informa o produtor, ao comentar que desde o início da parceria, a entrega de produtos cresceu exponencialmente e agora atende as três lojas do BigLar.   

 

Egon diz que a parceria foi o marco crucial para que a empresa dele conseguisse alavancar o negócio e possibilitasse o desenvolvimento da produção de orgânicos da região. 

 

“O canal de comercialização é fundamental para esses produtores. O BigLar é referência em orgânicos, por todo o trabalho que já desenvolve, e é referência na aquisição de orgânicos junto aos consumidores”, conclui.   

 

O presidente da Associação de Supermercados de Mato Grosso (Asmat), Alessandro Morbeck, destaca que a procura por produtos orgânicos está em ascensão nos supermercados. 

 

“Os supermercados são a grande fonte de produtos orgânicos ao consumidor, seguidos por lojas especializadas e feiras típicas. Nesse sentido, muitas lojas estão criando espaços específicos nas gôndolas devido a crescente procura por esses produtos, deixando de se limitar aos tradicionais hortifrutis. A tendência de crescimento é muito grande nos próximos anos”, informa.  

 

No Brasil, de acordo com informações divulgadas pelo Conselho Nacional de Segurança Alimentar da Presidência da República, a área destinada à produção orgânica cresceu 15% em 2016, atingindo 750 mil hectares.   

 

Em três anos (de 2013 a 2016), o número de unidades de produção orgânica mais que dobrou, saltando de 6,7 mil para 15,7 mil. Em 2016, o mercado de orgânicos faturou mais de R$ 3 bilhões no mercado interno, além de R$ 145 milhões em exportações. Estima-se hoje que o Brasil seja o maior produtor de arroz orgânico da América Latina.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:





















logo O bom da notícia

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet